21
Jan

Compartilhando experiências

Oi gente, tudo bem?

IMG_4791 Pelo menos duas vezes por ano, fazemos um jejum de informações e entretenimento – jejum de Daniel. Em um mundo movido pela tecnologia e o desejo desenfreado de estar conectado a todas as informações possíveis, nós remamos contra a maré e nos desconectamos completamente. Passamos vinte e um dias conectados com Deus. Durante esse período ocupamos nosso tempo com tudo que venha a acrescentar na nossa vida espiritual. E, não é só isso não! Também aproveitamos o tempo livre para fazermos tudo aquilo que não tínhamos tempo de fazer por estarmos ocupados demais em nossos mundinhos. Isso inclui dar mais atenção a família, fazer aquela limpeza no quarto ou no armário da cozinha, visitar alguém que esteja precisando de ajuda… Enfim, ocupamos o tempo com coisas que venham ajudar e acrescentar em nossas vidas e também na vida das pessoas que nos cercam.

Isso pode parecer loucura ou fanatismo para a maioria das pessoas, mas para nós que fazemos é muito prazeroso.

Em setembro do ano passado tivemos um jejum de Daniel. Nessa época decidi que ao invés de 21 dias eu faria 42. Passados os 42 dias eu decidi que ficaria parcialmente afastada das redes sociais e do blog até o próximo jejum de Daniel que começou no final de dezembro e terminou no último domingo (17/01/16).

Durante esses quatro meses eu mergulhei fundo dentro de mim para entender onde estava a raiz do vazio que eu sentia. Um vazio que nada preenchia. Um vazio que me acompanhou por toda a minha vida. Inexplicável, doloroso, profundo. A vida inteira eu busquei preencher esse vazio com festas, amigos, religiões, redes sociais… Mas nada conseguia me preencher por completo. Mesmo depois de ter voltado a igreja de onde nunca deveria ter saído o vazio continuava. Foram dois anos dentro da igreja vivendo como uma dracma perdida (Lucas 15:8-10). O orgulho não me deixava reconhecer que precisava de ajuda para mudar. O egoísmo não me deixava ser mais que serva de mim mesma. E nesse orgulho egoísta eu ia vivendo a vida empurrando com a barriga.

Foi aí que decidi abrir meu coração para Deus e falei sobre tudo que estava dentro de mim até as coisas mais feias e vergonhosas. Decidi que era hora de mudar. Me libertar do passado, dos traumas, das dores, dúvidas, medos, ansiedades, mágoas antigas guardadas a sete chaves… Me esvaziar de mim mesma para me encher da presença de Deus. E, essa foi a melhor decisão que já tomei em toda a minha vida. O peso saiu. Dali em diante minha mudança começou. Agora tenho paz e o vazio foi preenchido pelo Espírito Santo de Deus.

Claro que não sou perfeita, boazinha e livre de erros e falhas! Mas hoje sou melhor que ontem e amanhã serei melhor que hoje. É uma busca contínua.

 “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.” (Jo 6:37)

PS: algumas pessoas pediram que eu compartilhasse minha experiência nesse período que passei afastada. Pois aqui está 🙂

PS 2: vou atualizar o blog o máximo que puder. Farei posts falando sobre diversos assuntos.



Deixar um comentário

vem me seguir no

@colorindoavidablog

Colorindo a Vida - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2017