25
Jul

Amor de mãe

Há três anos atrás quando descobri que estava grávida levei um choque. Lembro que ter mais um filho (ou filha) não  fazia parte dos meus planos. Eu já estava acostumada a viver a vida devagar, sem muitas responsabilidades.

Entrei no banheiro com um teste de gravidez e uma incerteza. Sai de lá aos prantos. Não podia ser verdade o que aquele teste me dizia. A ficha só caiu quando fiz o primeiro ultrassom com 8 semamas de gravidez e pude ver que uma pessoinha pulava dentro de mim. Uma coisinha tão pequenininha, indefesa e dependente. Naquele momento o amor de mãe aflorou e veio com força total.

Foi uma gravidez difícil e cheia de complicações. Depressão fortíssima, dores, dez infecções renais, repouso absoluto, anemia e uma ansiedade sem fim. Mas, cada vez que ela mexia dentro de mim me confortava e fortalecia.

Zahrah nasceu prematura, pequenininha, frágil, tão linda que eu não parava de admirar.

O pós parto da cesariana sozinha em um país estranho foi difícil. As horas a fio em que ela gritava com cólicas foram castigantes. Cuidar da Zahrinha em tempo integral e sozinha foi exaustivo. Não vou ser hipócrita e dizer que sinto falta do barrigão pesado da gravidez com todo desconforto que ele trás, porque eu  não sinto a mínima falta. Também não tenho saudades da época que ela era um bebê bem pequerrucho, porque também não tenho. Mas, posso dizer sem culpa que curti cada momento, que amei e amo demais a minha bonequinha linda, que quero mais é que ela cresça e se torne exatamente aquilo que Deus planejou para ela.

Minha bebezinha está crescendo e se tornando uma menina linda e muito esperta. Ela completou 3 anos no sábado passado (23/07). Este ano não fizemos festa. Nós a levamos a um café onde tem um playground maravilhoso com obstáculos e piscinas de bolinhas. Almoçamos fora e ainda comemos bolo prestígio feito por mim. Ufa! Foi um dia bem cansativo e muito divertido.

10
May

Ser mãe é padecer no paraíso

Oi gente, tudo bem?

Zahrinha-e-eu
Cresci ouvindo as frases: “ser mãe é padecer no paraíso” e “quando você for mãe vai saber o que é bom”. Bem clichê, mas verdadeiras.

Ser mãe é mesmo padecer no paraíso e eu não tenho a menor dúvida. Depois de um dia inteiro de lá pra cá eu só quero deitar e dormir (como me sinto exatamente nesse momento), mas mesmo assim venço o cansaço e dedico tempo aos meus filhos. Às vezes o choro, a birra, as malcriações, a falta de apetite, as maquiagens e cremes destruídos, me deixam impotentes e me fazem pensar (nem que seja por um mísero segundo) que teria sido melhor não ter filhos. Acho que toda mãe passa por esses momentos que vão do amor ao ódio. Em uma fração de segundo respiro, peço forças a Deus e tudo volta a ser como antes – um paraíso de amor e alegria.

Sinto saudade de estar arrumada, unhas feitas, não ter hora para dormir nem para acordar, sair sem ter hora para voltar, ler pelo menos três livros por mês… E a lista continua 🙂 Mas, mesmo com todas as dificuldades eu não abro mão de ser mãe da Zahrah e do Anderson. Meus filhos são meus amores e eu padecerei no paraíso até o fim.

Ser mãe também é ‘ver o que é bom’ pois não tem nada melhor que acordar de manhã com beijinhos e xerinhos, passar o dia inteiro recebendo abraços apertados, carinhos, beijos e mais beijos, sorrisos largos e sinceros misturados a muita sapequice. Tem coisa melhor que isso? Se tiver desconheço.

Isso é o que eu chamo de padecer no paraíso e ver o que é bom 🙂

Zahrinhaeeu

PS: hoje fez um dia lindo aqui e nós aproveitamos para brincar muito. Eu já estava com o cabelo todo bagunçado e cara de pamonha de tão cansada kkkk.

Fotos acervo pessoal
26
Apr

Visita da ex

Oi gente, tudo bem?

IMG_1943

As últimas semanas foram bem agitadas por aqui. Recebemos a visita da ex mulher do meu marido e o filho deles, então já viu né? Uma correria só 🙂

Quando eu conheci meu marido ele já estava divorciado a alguns anos. Na verdade ele viveu um casamento arranjado com uma prima. Isso é uma prática muito comum no Paquistão, onde as famílias arranjam o casamento de seus filhos entre si e muitas vezes os noivos só se conhecem no dia do casamento. Infelizmente nem todos conseguem ser felizes depois do casamento, e acabam divorciando ou vivendo juntos infelizes e sem amor. No caso meu marido eles divorciaram numa boa e continuaram amigos. Como eles tem um filho de onze anos que é autista e precisa muito do pai, todas as vezes que ele tem mais de uma semana de férias na escola eles vem nos visitar.

A primeira vez que eles vieram foi bem estranho pra mim. Fazia apenas um mês que a Zahrinha tinha nascido, os hormônios estavam a mil e acabou sendo muito estranho tê-los em minha casa. Mas, com o tempo eu e a Zahira (esse é o nome dela) nos tornamos boas amigas e hoje nos damos muito bem ao ponto de irmos a restaurantes, cafeterias, shopping e a todos os lugares juntas de bem com a vida. Até porque essa história de ser inimiga declarada da ex não combina comigo.

Ah sim! Quem me conhece sabe que eu era ciumenta doente no passado. Meus relacionamentos eram sempre frustrados porque eu era ciumenta, chata, controladora, não deixava a outra pessoa respirar. Eu era daquelas que vasculhava as redes sociais atrás de ‘provas do crime’ kkkk. Vê se pode? Ridículo isso! Só que ao mesmo tempo eu também era fria e calculista. Mas, felizmente consegui vencer o ciúme e tudo de ruim através da fé. Deus me ajudou a entender que o amor verdadeiro não sufoca e nem aprisiona a outra pessoa. O amor verdadeiro nos traz paz, nos da segurança e não nos rouba a liberdade, pois ele vem de Deus.

Voltando ao assunto, a Zahira e o Adam vieram passar duas semanas conosco e eu tive que dar atenção a eles em tempo integral. Com a mudança de rotina eu não estava conseguindo me concentrar no blog para escrever posts de qualidade. Sou dessas que tem que estar em um ambiente silencioso para poder me concentrar naquilo que estou escrevendo e com a casa cheia de gente fica impossível. Sem contar que quando recebo visitas gosto de dar o meu melhor em tudo, atenção, organização (quando consigo manter tudo em ordem kkk), comidinhas deliciosas e tempo de qualidade. Agora que eles voltaram para Inglaterra já posso voltar a me dedicar ao blog novamente. Para compensar minha ausência  estou preparando posts legais e em breve darei início a uma temporada de vídeos onde irei falar sobre assuntos diferenciados.

Se vocês tiverem perguntas e sugestões para futuros posts e vídeos fiquem a vontade para deixar nos comentários logo abaixo. Garanto que irei ler tudo com atenção e estarei preparando posts para o blog ou vídeos para postar no canal do blog no youtube. Que tal?

PS: a foto acima é da Zahrah e o Adam no verão passado no parque de Tullamore. 

 

vem me seguir no

@colorindoavidablog

Colorindo a Vida - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018