25
Jul

Amor de mãe

Há três anos atrás quando descobri que estava grávida levei um choque. Lembro que ter mais um filho (ou filha) não  fazia parte dos meus planos. Eu já estava acostumada a viver a vida devagar, sem muitas responsabilidades.

Entrei no banheiro com um teste de gravidez e uma incerteza. Sai de lá aos prantos. Não podia ser verdade o que aquele teste me dizia. A ficha só caiu quando fiz o primeiro ultrassom com 8 semamas de gravidez e pude ver que uma pessoinha pulava dentro de mim. Uma coisinha tão pequenininha, indefesa e dependente. Naquele momento o amor de mãe aflorou e veio com força total.

Foi uma gravidez difícil e cheia de complicações. Depressão fortíssima, dores, dez infecções renais, repouso absoluto, anemia e uma ansiedade sem fim. Mas, cada vez que ela mexia dentro de mim me confortava e fortalecia.

Zahrah nasceu prematura, pequenininha, frágil, tão linda que eu não parava de admirar.

O pós parto da cesariana sozinha em um país estranho foi difícil. As horas a fio em que ela gritava com cólicas foram castigantes. Cuidar da Zahrinha em tempo integral e sozinha foi exaustivo. Não vou ser hipócrita e dizer que sinto falta do barrigão pesado da gravidez com todo desconforto que ele trás, porque eu  não sinto a mínima falta. Também não tenho saudades da época que ela era um bebê bem pequerrucho, porque também não tenho. Mas, posso dizer sem culpa que curti cada momento, que amei e amo demais a minha bonequinha linda, que quero mais é que ela cresça e se torne exatamente aquilo que Deus planejou para ela.

Minha bebezinha está crescendo e se tornando uma menina linda e muito esperta. Ela completou 3 anos no sábado passado (23/07). Este ano não fizemos festa. Nós a levamos a um café onde tem um playground maravilhoso com obstáculos e piscinas de bolinhas. Almoçamos fora e ainda comemos bolo prestígio feito por mim. Ufa! Foi um dia bem cansativo e muito divertido.

20
Aug

Mitos e verdades sobre casamento com estrangeiro – parte 2

casamento,

Oi gente! Tudo bem?

Continuando o post anterior onde falo dos mitos e verdades sobre casamento com estrangeiro, se quiser ler é só clicar aqui, vamos a mais algumas dicas importantes!

Uma coisa que eu considero de extrema importância é que antes de casar os dois procurem conhecer a cultura um do outro bem a fundo. Conversem bastante sobre o assunto, pesquisem na internet, se inteirem dos gostos, sonhos, planos e projetos para o futuro que ambos têm para ver se existe algo em comum entre vocês. Procurem conhecer os amigos e familiares um do outro. Sejam bem curiosos e perguntem muito, observem, analisem e vejam se é isso mesmo que vocês querem. Tenham muito cuidado, principalmente se existir um abismo cultural ou religioso entre vocês. Analisem bem os prós e os contras porque neste caso o relacionamento de vocês corre o risco de não dar certo.

Caso você mulher tenha que se mudar para o país onde o seu amado vive não fique com vergonha de dizer que você é brasileira temendo sofrer preconceito. Existe preconceito sim, mas se você se dá ao respeito às pessoas vão aprender a te respeitar mesmo que não gostem de você, o que já é meio caminho andado. Mas, se partirem pra ignorância e usarem de preconceito gratuito não perca tempo com discussões inúteis simplesmente ignore e saia de perto. Vamos combinar que não vale a pena perder tempo com coisas e pessoas que não acrescentam nada em nossas vidas. Né não?

Claro que quando você diz que é brasileira as pessoas pensam que você samba, ama futebol, ia na floresta amazônica como se vai comprar pão na esquina e não fazia outra coisa da vida que não fosse ficar na praia torrando no sol kkkk. Apesar de engraçado isso é até normal. Mas, com o tempo você aprende a tirar isso de letra 😉

E, se você pensa em casar com um estrangeiro seja lá de que país for já vá sabendo que morar fora do Brasil também tem um agravante, você se sentirá muito sozinha em um país estranho rodeada de pessoas estranhas. Como assim? Até você se adaptar, fazer amigos e ter vida social leva um pouco de tempo. A internet acabará sendo seu refúgio para poder matar um pouco da saudade da família e dos amigos.

Se você fala o idioma do país onde você está morando de forma fluente tenha certeza que para os nativos do país você será sempre uma estrangeira, então aprenda a conviver com isso numa boa e não leve as críticas tão a sério. Afinal de contas não vale a pena se estressar com bobagens.

Então, acho que é isso aí! Sem contar que ainda tem a saudade que as vezes bate forte, a luta que muitas enfrentam para conseguir um emprego, aprender um novo idioma, a adaptação ao clima e as pessoas (que eu posso dizer que não e nada fácil aguentar o frio europeu e se acostumar com pessoas de hábitos tão  diferentes dos nossos), enfim, não tem nada de glamouroso nessa nova vida. Mas mesmo assim a grande maioria que se arrisca é muito feliz.

Foto by One Fab Day
01
Aug

Bom final de semana – Happy weekend

IMG_5262

Oi gente, tudo bem?

Não siga tudo o que vem dos outros, seja você mesmo. Mas quando lhe disserem “aproveite enquanto é tempo”, acredite e faça acontecer.

Desejo a todos os meus amigos e leitores um final de semana repleto de bençãos.

Foto by The Ivy girl
12

vem me seguir no

@colorindoavidablog

Colorindo a Vida - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018