02
Mar

Como é ser casada com um paquistanês?

Oi gente, tudo bem?

tumblr_mgncyfFml11rpko2lo1_1280

Sempre que digo que sou casada com um paquistanês as pessoas me perguntam como ele é, se ele me bate, se é bom pai, se é agressivo, se não me deixa trancada dentro de casa, se não é homem bomba… E não para por aí! Eu procuro levar tudo na esportiva porque afinal de contas é normal que as pessoas estranhem essa combinação entre uma brasileira e um paquistanês, né não?

Então, vamos matar a curiosidade meu povo 🙂

Como é o homem paquistanês?

É um homem de personalidade forte que gosta das coisas do jeito dele. A cultura do homem paquistanês está diretamente ligada a religião, o que os torna mais rigorosos em muitos aspectos. Por exemplo, a esposa tem que se vestir de forma que seu corpo fique todo coberto. Biquíni, regata, roupas curtas e justas? Esqueça! Se você casar com seu paki isso não te pertence mais kkkk.

Ele é agressivo, me bate ou me tranca em casa?

Não! Meu marido é um homem muito pacífico e paciente. Ele nunca me bateu. Além de não ser agressivo ele também me dá toda liberdade de ir e vir. Posso passear, ir às compras ou mesmo ir a restaurantes e cafeterias com minhas amigas que ele não se importa. Nunca fiquei trancada dentro de casa. Muito pelo contrário, tem dias que ele insiste para que eu saia de casa e vá respirar um pouco de ar puro.

Ele é bom pai?

Ele é um excelente pai. Amoroso, carinhoso, zeloso. Trata a nossa filha com amor e carinho. Pior de tudo é que ele não gosta quando eu me estresso com a Zahrinha e acaba ficando muito chateado.

Ele é um homem bomba?

Oxiii, que pergunta besta né? Se ele fosse um homem bomba já teria se explodido a muito tempo, vocês não acham? 😀

Na verdade as coisas não foram nada fáceis no início do nosso casamento porque houve um choque cultural muito grande. Imagine duas pessoas completamente diferentes e de personalidade forte vivendo debaixo do mesmo teto tendo que dividir o mesmo espaço, imaginou? Pois é, nós tivemos nossas brigas, ficamos dias sem nos falar, discordamos em muitas coisas, mas ele nunca nem sequer pensou em levantar a mão para me bater. Mas, gracas a Deus essa fase chata já passou. O tempo nos ensinou a administrar as nossas diferenças.

Claro que cada caso é um caso! Não dá pra generalizar e dizer que todos os homens paquistaneses são uns docinhos de coco ou que são todos nó cego. Tem muitos que são agressivos, mentirosos, caçadores de visto, difíceis de conviver, fanáticos… Mas, em todos os lugares do mundo tem homem bom e homem ruim. Cabe a você ser seletiva, se valorizar e não cair na conversa fiada de qualquer um. Se o cara diz que te ama depois de algumas conversas ou fica com uma história de “madam I love you” pra cá, “madam I love you” pra lá, corra! Mas corra com vontade.

Foto by Tumblr
30
Jan

Casamento no Paquistão

Se você é noiva de um paquistanês, com certeza, morre de vontade de casar toda emperequetada, né não? Meu casamento foi simples e não seguiu todos os rituais porque moramos na Irlanda. Se tivéssemos casado no Paquistão pertinho da família dele teria sido uma festança grande.

Para quem não sabe o casamento paquistanês pode durar vários dias e tem pelo menos três cerimônias separadas. O pai da noiva arca com as despesas (que não são poucas), mas as famílias sempre dão uma ajuda daqui e dali. Alguns convidados levam doces que são sempre muito bem vindos. 

A noiva é o centro das atenções com roupas coloridas, maquiagem forte, jóias bem extravagantes e tatuagens de henna. Ah! E em cada cerimônia os noivos usam roupas diferentes. 

Vamos ver algumas fotos? As fotos abaixo são do casamento da Safa e Saad. 

Primeiro dia: Dia do Mehendi

O noivo juntamente com seus familiares e amigos vão até a casa da noiva para celebrar o primeiro dia do casamento.  Nas famílias mais modernas eles chegam dançando e é uma festança só. Nas mais tradicionais não tem dança. Nesse casamento houve dança. Muita dança por sinal. 

As cores típicas para este dia são o amarelo e o verde. Da decoração as roupas tudo é bem colorido. Nesse dia é feito tatuagem de henna na noiva e suas amigas. E, sim, o noivo vai até a casa da noiva montado em um cavalo branco vestido com uma capa bordada. Alguns mais exóticos vão montados em um elefante todo decorado. 

pakistani-mhendi-1mehndipakistani-mhendi-5pakistani-mhendi-61pakistani-mhendi-3pakistani-mhendi-8pakistani-mhendi-2

Segundo dia: Nikah

Cerimônia islâmica onde é firmado o compromisso de casamento. O noivo e sua família vão até a casa da noiva onde a cerimônia acontece. Nesse dia a noiva costuma usar vermelho mas tem algumas que optam por outras cores como branco, bege, pink, entre outras. Geralmente as noivas chegam de braços dado com o pai. Quando chega a hora da noiva ir para a noite de núpcias é um chororô só. A noiva e seus familiares mais chegados (pai, mãe, irmãos) choram muito. Tudo porque a noiva está deixando a casa dos pais para ir morar, geralmente, na casa da família do marido.

Nesse dia é servido pratos quentes regados a muita pimenta e sobremesa. 

pakistani-wedding-16 pakistani-wedding-10 pakistani-wedding-7 pakistani-wedding-8

Terceiro dia: Valima

Dia de celebrar a união do casal e a mais nova família que está se iniciando. A família da noiva e todos os demais convidados vão até a casa da família do noivo e é uma festança só. Afinal de contas o casamento já foi consumado e agora é só alegria. 

Também é servido pratos quentes regados a muita pimenta.

pakistani-wedding-1 dsc3117 pakistani-wedding-5

PS: quando a festa de casamento é feita para um grande número de convidados não tem como ser na casa da noiva. Então, eles alugam lugares específicos para a festa. Geralmente, em hotéis muito bem preparados para a ocasião. 

PS2: a festa de casamento no Paquistão é um verdadeiro acontecimento. Tem famílias que juntam dinheiro a vida inteira esperando a chegada desse momento. A grandiosidade das festas depende do poder aquisitivo das famílias em questão.  

Fotos do blog da noiva: Mybigfatpakistaniwedding  Fotógrafo: Mir Anwar Studios 

 

20
Aug

Mitos e verdades sobre casamento com estrangeiro – parte 2

casamento,

Oi gente! Tudo bem?

Continuando o post anterior onde falo dos mitos e verdades sobre casamento com estrangeiro, se quiser ler é só clicar aqui, vamos a mais algumas dicas importantes!

Uma coisa que eu considero de extrema importância é que antes de casar os dois procurem conhecer a cultura um do outro bem a fundo. Conversem bastante sobre o assunto, pesquisem na internet, se inteirem dos gostos, sonhos, planos e projetos para o futuro que ambos têm para ver se existe algo em comum entre vocês. Procurem conhecer os amigos e familiares um do outro. Sejam bem curiosos e perguntem muito, observem, analisem e vejam se é isso mesmo que vocês querem. Tenham muito cuidado, principalmente se existir um abismo cultural ou religioso entre vocês. Analisem bem os prós e os contras porque neste caso o relacionamento de vocês corre o risco de não dar certo.

Caso você mulher tenha que se mudar para o país onde o seu amado vive não fique com vergonha de dizer que você é brasileira temendo sofrer preconceito. Existe preconceito sim, mas se você se dá ao respeito às pessoas vão aprender a te respeitar mesmo que não gostem de você, o que já é meio caminho andado. Mas, se partirem pra ignorância e usarem de preconceito gratuito não perca tempo com discussões inúteis simplesmente ignore e saia de perto. Vamos combinar que não vale a pena perder tempo com coisas e pessoas que não acrescentam nada em nossas vidas. Né não?

Claro que quando você diz que é brasileira as pessoas pensam que você samba, ama futebol, ia na floresta amazônica como se vai comprar pão na esquina e não fazia outra coisa da vida que não fosse ficar na praia torrando no sol kkkk. Apesar de engraçado isso é até normal. Mas, com o tempo você aprende a tirar isso de letra 😉

E, se você pensa em casar com um estrangeiro seja lá de que país for já vá sabendo que morar fora do Brasil também tem um agravante, você se sentirá muito sozinha em um país estranho rodeada de pessoas estranhas. Como assim? Até você se adaptar, fazer amigos e ter vida social leva um pouco de tempo. A internet acabará sendo seu refúgio para poder matar um pouco da saudade da família e dos amigos.

Se você fala o idioma do país onde você está morando de forma fluente tenha certeza que para os nativos do país você será sempre uma estrangeira, então aprenda a conviver com isso numa boa e não leve as críticas tão a sério. Afinal de contas não vale a pena se estressar com bobagens.

Então, acho que é isso aí! Sem contar que ainda tem a saudade que as vezes bate forte, a luta que muitas enfrentam para conseguir um emprego, aprender um novo idioma, a adaptação ao clima e as pessoas (que eu posso dizer que não e nada fácil aguentar o frio europeu e se acostumar com pessoas de hábitos tão  diferentes dos nossos), enfim, não tem nada de glamouroso nessa nova vida. Mas mesmo assim a grande maioria que se arrisca é muito feliz.

Foto by One Fab Day
12

vem me seguir no

@colorindoavidablog

Colorindo a Vida - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018