23
Feb

E o inverno irlandês?

Oi gente, tudo bem?

Geashill - Irlanda

O inverno europeu não é nada fácil para nós brasileiros. Mesmo me considerando abençoada por morar na Irlanda onde o inverno não é tão rigoroso como na maioria dos países vizinhos, eu sofro bastante com o frio. Sem contar que no inverno os dias ficam mais curtos já que escurece por volta das 16:30 hs e a gente acaba ficando perdida no tempo querendo ir dormir às 17:00 hs kkk.

Na verdade o inverno irlandês é uma mistura de chuva e vento em um cinza sem fim, pois sol é artigo de luxo por aqui. Essa combinação torna tudo muito melancólico e se a pessoa se deixar levar por toda essa situação acaba ficando depressiva. Então, bora levantar porque o inverno passa e a primavera chega com suas lindas flores enfeitando nossas vidas.

Não é porque está frio que você vai ficar em casa o dia todo a semana inteira reclamando da vida. Invista em casacos quentinhos (dê preferência aos impermeáveis porque aqui chove muito), meia calça e blusa térmica para serem usados por baixo da roupa toda e ajudar a esquentar, cardigans, tricôs, meias grossas, luvas, chapéus, cachecóis… Vista-se em camadas como uma cebola e vá ser feliz.

Quem sabe os dias mais chuvosos e frios sejam uma excelente oportunidade para retomar o hábito da leitura e ler livros que estão na sua lista faz tempo. Ou quem sabe aproveitar para assistir séries e filmes que você perdeu mas está morrendo de vontade de assistir.

Que tal um bom banho de banheira com muitos sais de banho e água quase pelando? Confesso que não curto muito banho de banheira mas quem gosta pode aproveitar esse momento para relaxar e se aquecer sem medo de ser feliz. Não se esqueça dos sais de banho deliciosos 😉

Que tal se exercitar em casa ou mesmo fazer arte e artesanatos (DIY)? Levando em conta que dá preguiça de ir para academia debaixo de um frio congelante, você pode arrastar o móveis do quarto ou sala e criar seu espaço de ginástica diária. Assim você estará cuidando da saúde e ainda poderá ficar em forma para encarar o verão. Já o artesanato, além de ocupar a mente também pode dar um up na decoração da sua casa ou até aumentar sua renda caso você decida fazer para vender.

Vamos combinar que o inverno é a época de aproveitar para comer fondue, sopas, chocolates, biscoitos, acompanhados de chocolate quente ou café (com leite, no meu caso). Caso esteja de dieta prefira os fondues vegetarianos, sopas light, chocolate meio amargo, chocolate quente ou café feitos com leite desnatado.

Agasalhe-se, saia e divirta-se. Deixe de reclamar e bora ser feliz!

PS: compense a falta da vitamina do sol tomando comprimidos de vitamina D3 que ajudam muito a dar disposição e ainda aumentam a imunidade.

Foto feita por mim (Geashill – Irlanda)
16
Feb

Vida no interior 

Oi gente, tudo bem?

center.town

Lembro que desde muito pequena eu tinha vontade de ir embora da cidade onde nasci. Cidade pequena no interior de Santa Catarina, sabe como é né? Eu sonhava com a vida na cidade grande. Fechava os olhos e conseguia me ver caminhando pelas ruas movimentadas, a agitação das pessoas, ônibus, carros, bicicletas, todos misturados em um trânsito frenético, grandes shoppings centers, supermercados enormes… E, muita poluição 🙂 De repente, abria os olhos e me via na calmaria da vida no interior e tinha vontade de sumir. Faltava alguma coisa!

Quando chegou a adolescência fomos morar em Florianópolis durante um ano inteiro. Mesmo amando aquela cidade linda e agitada, minhas vontades mudaram – eu queria ir morar fora do Brasil. Não perdia um programa de televisão que falasse sobre países distantes e tinha verdadeirafascinação por Israel, Itália e países gelados com muita neve. Lia livros e me transportava aos países mais longínquos.

Na época eu mal tinha dinheiro para pagar as contas, imagina dar a volta ao mundo. O jeito era fechar os olhos e sonhar que saia bem mais barato. O tempo passou, o mundo girou e aqui estou eu morando na Irlanda.

Tudo aconteceu muito rápido. De repente, conheci meu marido e em três semanas já estava em solo irlandês pronta para casar. Saí do Brasil debaixo de um calor de 30 graus e aterrissei na Irlanda sob um frio de zero grau com sensação térmica de 80 graus negativos (exagerada kkk). Como se já não bastasse o frio, aqui também chove e venta muito. Ah! E não é ventinho fraquinho não! É ventania de arrastar o mundo lá fora. Vou confessar que tinha dias que eu queria botar meus cacarecos dentro da mala e pegar o beco de volta para o Brasil.

Para quem pensava em sair da cidadezinha do interior e ir morar em uma cidade grande e barulhenta, hoje eu moro em uma cidade pacata no interior da Irlanda. Cidade grande, barulho, agitação, poluição, gente correndo para todos os lados? Que nada! Eu continuo amando a agitação da cidade grande mas me adaptei a vida no interior. Só não vou me acostumar nunca com esse frio horroroso daqui. Sendo assim, no inverno não me resta outra coisa senão hibernar. Dormir, acordar, comer, limpar, cozinhar, comer, cuidar da família, ler, comer, e dormir de novo.

Foto da cidade onde moro feita por mim
21
Jan

Compartilhando experiências

Oi gente, tudo bem?

IMG_4791 Pelo menos duas vezes por ano, fazemos um jejum de informações e entretenimento – jejum de Daniel. Em um mundo movido pela tecnologia e o desejo desenfreado de estar conectado a todas as informações possíveis, nós remamos contra a maré e nos desconectamos completamente. Passamos vinte e um dias conectados com Deus. Durante esse período ocupamos nosso tempo com tudo que venha a acrescentar na nossa vida espiritual. E, não é só isso não! Também aproveitamos o tempo livre para fazermos tudo aquilo que não tínhamos tempo de fazer por estarmos ocupados demais em nossos mundinhos. Isso inclui dar mais atenção a família, fazer aquela limpeza no quarto ou no armário da cozinha, visitar alguém que esteja precisando de ajuda… Enfim, ocupamos o tempo com coisas que venham ajudar e acrescentar em nossas vidas e também na vida das pessoas que nos cercam.

Isso pode parecer loucura ou fanatismo para a maioria das pessoas, mas para nós que fazemos é muito prazeroso.

Em setembro do ano passado tivemos um jejum de Daniel. Nessa época decidi que ao invés de 21 dias eu faria 42. Passados os 42 dias eu decidi que ficaria parcialmente afastada das redes sociais e do blog até o próximo jejum de Daniel que começou no final de dezembro e terminou no último domingo (17/01/16).

Durante esses quatro meses eu mergulhei fundo dentro de mim para entender onde estava a raiz do vazio que eu sentia. Um vazio que nada preenchia. Um vazio que me acompanhou por toda a minha vida. Inexplicável, doloroso, profundo. A vida inteira eu busquei preencher esse vazio com festas, amigos, religiões, redes sociais… Mas nada conseguia me preencher por completo. Mesmo depois de ter voltado a igreja de onde nunca deveria ter saído o vazio continuava. Foram dois anos dentro da igreja vivendo como uma dracma perdida (Lucas 15:8-10). O orgulho não me deixava reconhecer que precisava de ajuda para mudar. O egoísmo não me deixava ser mais que serva de mim mesma. E nesse orgulho egoísta eu ia vivendo a vida empurrando com a barriga.

Foi aí que decidi abrir meu coração para Deus e falei sobre tudo que estava dentro de mim até as coisas mais feias e vergonhosas. Decidi que era hora de mudar. Me libertar do passado, dos traumas, das dores, dúvidas, medos, ansiedades, mágoas antigas guardadas a sete chaves… Me esvaziar de mim mesma para me encher da presença de Deus. E, essa foi a melhor decisão que já tomei em toda a minha vida. O peso saiu. Dali em diante minha mudança começou. Agora tenho paz e o vazio foi preenchido pelo Espírito Santo de Deus.

Claro que não sou perfeita, boazinha e livre de erros e falhas! Mas hoje sou melhor que ontem e amanhã serei melhor que hoje. É uma busca contínua.

 “Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora.” (Jo 6:37)

PS: algumas pessoas pediram que eu compartilhasse minha experiência nesse período que passei afastada. Pois aqui está 🙂

PS 2: vou atualizar o blog o máximo que puder. Farei posts falando sobre diversos assuntos.

vem me seguir no

@colorindoavidablog

Colorindo a Vida - Todos os Direitos Reservados - Copyright © 2018